Posso estrear nos 10k?

Posso estrear nos 10k?

Sim, a minha estreia! Acreditem ou não.

Mas pela primeira vez estou treinando para uma prova de 10k.

Já fiz algumas, óbvio, mas acreditem também, provas de 5 ou 10 só fizeram parte da minha vida como treino ou como diversão.

Quando comecei a correr fiz algumas provas nestas distâncias, mas totalmente sem foco. Não tinha treinador e muito menos planilha. Minha única meta sempre foi terminar sem dores no joelho! Corria por conta e na esteira. Algumas e poucas vezes na rua.

Mas a paixão virou amor e eu decidi fazer uma meia maratona. Entrei nas aulas de Running da minha academia. E continuava meus treinos na esteira e sem assessoria. Na verdade, assessoria de corrida só entrou na minha vida  quando coloquei na cabeça este trem de MARATONA. E daí, as “meias” começaram a fazer parte do meu treino.

Mas voltamos aos 10k…

Lembram que meu treinador não queria que eu encarasse duas Meias seguidas? Que tentou me convencer a ir para os 10k da Run Series, mas eu teimosa, ganhei dele? Lembram, né? Pois bem. Prometi fazer uma prova caprichada de 10 ainda este ano.

E logo que cruzei a linha de chegada dos 21k com o Iuri, pacer do NRC que me puxou e arrastou neste dia, ele me olhou e desafiou: Até o fim do ano vamos fazer uma de 10 pra tempo? Na euforia e cheia de endorfina, nem pensei e  aceitei. Sério. Eu não sabia onde estava me metendo.

Planilha alterada. Treinos focados. E muito trabalho pela frente. MUITO MESMO.

“Nossa Juliana, você já correu maratona, 10k é fichinha”

Não é bem assim gente. Nem eu imaginava que os treinos seriam tão intensos.

Sou fã número 01 dos treinos longos e da distância mais cruel, os 42k.

Nunca imaginei que sofreria tanto para fazer uma prova de 10. Tem muito treino de tiro, muita velocidade, intervalado, força… É coração na boca em quase todos os treinos. Os longos? Acabaram. No máximo 10k e ainda ritmado.

Ja treinei duas semanas e tenho mais duas.

Estou curtindo por ser um desafio, um estímulo diferente. Gostei mesmo de me impor desafios, sair da zona de conforto, me esforçar, fazer diferente… Mas confesso que estou ficando destruída!

Nos treinos do NRC ouço bem o que ele me fala para encarar o ritmo que ele vai puxar. Estou tentando ir sempre no pelotão dele, o que para mim é um grande esforço, já que o dele é sempre um dos mais fortes! Termino exausta. Podre. Morta.

Já nos dias da semana que treino sozinha, mentalizo os berros dele e me mato! Depois me recupero e mando o resultado do treino para  ele, que sempre acha que fui bem e em segundos já calcula o tempo estimado de prova de acordo com meu treino! Doido! Não sei se tá de caô para me motivar ou se estou indo bem! Mas prefiro acreditar!

Isso a gente só vai descobrir no dia 04/12.

A minha estreia de verdade nos 10k!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *