Mais uma Meia Maratona

Começo do ano quando parei para definir quais seriam as minhas metas coloquei duas coisas na cabeça: Maratona do Rio, no primeiro semestre e um esporte novo no segundo. Metas cumpridas. Maratona feita. Esporte novo, bike. (Vocês vão adorar saber como estou lidando com minha magrela, conto em outro post)

Passado todo este caos, resolvi fazer provas for Fun, neste segundo semestre. Até porque meu maior objetivo já está sendo traçado e meus treinos irão mudar da água para o vinho logo mais!

E eu não sei se foi a minha decisão ou se foi meu corpo que voltou pós maratona. Mas correr for Fun tá me deixando muito forte e feliz, sem perceber.

Foi assim nos 10km da Run Series Vila Lobos e Parque Maia. Foi assim na New Balance. Tem sido assim nos meus treinos. E não seria diferente nos 21K na São Paulo City Marathon.

Fui com a Rosana amiga mais que especial que largou comigo na Maratona do Rio também. Juro que desde a Victory Tour não via uma largada tão linda e emocionante. Ainda estava escuro, então quando os fogos estouraram e Axl Roses cantou alto Sweet Child’ O Mine, fiquei arrepiada das cabeças aos pés! Ponto pra Iguana! Foi incrível!

Logo no primeiro Km encontrei a Lhyo, venezuelana carioquíssima Expert da Nike de Ipanema. Rosana disparou e eu e Lhyo seguimos juntas numa energia incrível.

Tenho que confessar. Desta vez estava correndo tranquila. Cabeça boa, zero cansaço. Mas confesso outra coisa: a tal subida da Brigadeiro não saía da cabeça! Cada curva que eu fazia achava que sairia nela! (Sim, eu não estudei o percurso).

E de repente, ela apareceu! Linda, porém puxada. Fui firme. Não arreguei. E no final dela, uma descida e o Parque do Ibirapuera. Recuperei e emocionei. Aiii gente, acho que ando muito emotiva, sorry! Mas não passo mais uma prova sem chorar!

Estava ótima e em um ritmo bem confortável. Não queria sofrer nem bater recordes. Estava ali para curtir.

Fui encontrando muita gente querida durante o percurso. Outras que não conhecia também vieram falar comigo. E a vibe não podia estar melhor.

O cansaço foi bater no km 18 pois não havia tomado gel. Ainda estou meio encanada com o gel, desde a Maratona do Rio. Sabe quando você fica de ressaca e nunca mais quer beber? Estou assim com gel! Só de pensar já me embrulha o estômago!

Pois bem… no km 18 a energia estava caindo mas continuei firme. Quando vi a placa marcando KM 20 de Graças a Deus! Mas não sabia que seria a pior parte. Um túnel interminável, abafado e com subida. Eu não conseguia respirar direito. Para mim foi pior que a Brigadeiro. Só pensava na “luz no fim do túnel” rs… E ela chegou. Ali, foi só correr pro abraço! Estava a poucos metros da chegada.

E quando pausei o Garmin… 1h58min.

Não é um puta tempo. Mas quem estava preocupado com isso mesmo?

 

 

epicc

Isso sim foi sucesso nesta Meia Maratona! Um Lunar Epic de cada cor!

 

 

3 Comentários

  1. Marcio Margini disse:

    Parabéns mais uma vez Juliana !!!
    Pela prova, e pelo Post, que são sempre muito bons.
    Realmente o Túnel foi terrível
    Mas no final valeu a pena
    Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *